quarta-feira, 9 de setembro de 2015

COMO CONHECER O GALO BOM





Tem muita teoria e superstição na criação do galo de briga...  Então existem muitas coisas que as pessoas vão lá e falam...Por isso que cada um pense o que quiser.




Em primeiro lugar, falam que pelo andar de um galo se pode reconhecer um galo que dá muita espora.
É que tem galo que anda parece que meio com cuidado quando pisa, um pé bem na frente do outro.
Prece que ele está meio que desfilando. cada pisada o dedão vai exatamente atrás de seu dedinho do pé da frente... Quase como se estivesse de pernas cruzadas pra andar.











Outra enorme besteira que falam é que o galo pra ter raça tem que ser o galo preto. qualquer outra cor é fraca e num presta pra criar.  sai sem raça. sem fibra que corre facinho da briga.






Essa é uma das cores mais tradicionais e apreciadas da raça combatente criada por todo o Mato Grosso do Sul. Um perfeito espécime. Galo preto, um  Campeão.

























outro boato que falam é sobre os encontros de um galo...  Aí sim que tem muita lenda nisso.
Os encontros do galo são uma ciência que quase ninguém conhece.
Primeiro. Os encontros de um galo são duas pontas cartilaginosas que se juntam abaixo de seu rabo . bem em baixo da cloaca.  Esses ossinhos são muito importantes, na verdade. Mas em geral na galinha , e não num galo.
Esses ossos se fecham numa galinha choca. e se abrem numa franga ficando moça. perto de botar.
Então basta pegar em uma galinha, que quem é criador já sabe ver. Quem já botou. Quem que vai botar. E quem ainda vai demorar a ter os filhotes.









No caso de um galo é diferente. Os criadores falam que o encontro bem junto é sinal de galo bem formado. Galo que dá muita espora. Galo maduro que nunca foge da rinha.Galo de boa qualidade que  tem muita raça pura de galo índio.
E  a verdade é que nada disso tem nada a ver com nada !
Jã vi galo totalmente cuxinxo. sem raça de nada, mas de encontro fechado.
E galo de rinha com briga ganha que era encontro aberto ...  








 Falam que quando um galo canta comprido e muito fino é ruim e sem raça.  Todo mundo sabe que canto de galo de briga é rouco e meio curto.
Sai quase feio mesmo. Mais como se custasse muito esforço ao sair de sua garganta.ja vi galo com canto horrível, mas se der espora ninguém está ligando a mínima.

 




























quinta-feira, 3 de setembro de 2015

SIMPATIA E CRENÇA





Aqui sempre se escuta de um tudo sobre galo de briga.  Temos que entender é que muito do que se diz não passa de pura besteira...








Cabeça perfeita e bem formada da pura genética da raça combatente.  Um jovem branco pintado.
Pouca idade e muita saúde.
Pronto pra ser solto e tirar filhos perfeitos campeões num terreiro.










Quando comecei um antigo criador me ensinou um SEGREDO.  Uma simpatia pra usar na criação de galos...   Todo criador almeja Que seus frangos sejam Raçudos. Bom de espora e Muito Fortes.
Isso se acredita que pode ser feito antes mesmo do combatente nascer.  Através de uma simpatia.
Na hora de colocar os ovos pra chocar.
O ninho terá que ser recoberto, forrado com esterco de burro. Porque o burro é o animal do coice mais forte que existe na natureza.
Mas isso não basta !  Tem que catar os espinhos do pé de coqueiro conhecido como bocaiúva...
No meio do esterco de burro você vai colocar sete espinhos grandes e pontudos desses coquinho bocaiúva. Porque ?  Pra o seu galo dar esporas!
Todo mundo sabe que esse espinho é muito doloroso quando finca.  Além de se acreditar que ele caminha e se aprofunda cada vez mais pra dentro da pele.
A esporadas de teus galos vão ser mais e mais doloridas por causa das qualidades dos espinhos.
E por fim tudo isso não iria adiantar nada se fosse um galo sem coragem.  Sem fibra !
Então antes de a galinha deitar pra chocar, você vai calcular o dia certinho e marcar pra só deixar essa galinha chocar os ovos quando a ninhada dela for sair 21 dias depois. Na lua mais demorada e difícil de nascer. Pra ser raçudos tem que sair todos na lua MINGUANTE.
Dessa forma os seus galos vão ser os que batem mais forte. Os que acertam a espora mais funda, dolorida e certeira.
E vão ser os galos que de maneira nenhuma num correm de uma briga.  Os que têm mais raça...








Minha galinha amarela Maré Mansa era muito brava e raçuda. Se ela via uma galinha estranha na minha mão ou perto. Ela chegava a cantar imitando um galo.
Cantava tudo engrolada, parecendo assim um pintinho. A superstição falava que galinha que canta estava chamando o azar pro dono. Mas todas as minhas melhores galinhas de briga cantavam quando viam uma inimiga e estavam bravas.
É natural da raça. As melhores galinhas eram justamente essas que cantavam quando estavam mais furiosas. A Maré Mansa. A JUREMA, a melhor galinha do mundo.
 A Vermelhinha do Seu Ganso. 
Como eu ia matar uma galinha daquelas se todas custavam uma fortuna ?  NEM PENSAR !
Que azar que nada !








A superstição diz que cada galo tem que ser o melhor para cruzar. Maior Campeão e tudo o mais.
Eu pegava frangos assim jovens e sadios.
Bonitos e sem defeitos.
Sem nunca ter testado e nem brigado e tirava os melhores filhotes que conseguia achar por aqui por perto.  Porque eu não criava pra brigas e nem tava nem aí se pai ou mãe era famoso.
 Já vi filho de galo campeão que num prestava a não ser pra macarronada.  Os meus eram muito melhores.




A superstição fala que o galo tem que comer essa carninha de perto do ouvido quando agente opera.Porque isso torna ele um galo com um tom a mais de ferocidade nos instintos...
Como se essa raça ia precisar de algo pra ser ainda mais feroz.











Tendo crendices ou não. O fato é que o esterco de burro ou de cavalo bem seco realmente se mostra um excelente forro pra recobrir os ninhos em que as galinhas tem que passar seus 21 dias de castigo até que descasquem esses seus filhotes.














Costumam acreditar que apenas as galinhas velhas são as que tem cracas e caraxas nos pés.
Mas não é verdade. Aquilo se chama sarna podal. E pode pegar em galinhas de qualquer idade.
É sarna nos pés. Apenas isso.
Cura pintando os pés com um pouquinho de óleo queimado com um pincel.













quarta-feira, 28 de maio de 2014

TEM QUE TER ÉTICA





ÉTICA Para a criação e ÉTICA para a vida.

Quando alguém quer comprar um galo, pretende poder confiar na sua raça.
Tem que ter uma linhagem pura, uma família de boa procedência .
Acima de qualquer suspeita.
Sempre que eu vendia algum animal. EU SABIA o pai e a mãe deste frango.
SE PUDER ANOTAR AS CRIAS E RECRIAS NUMA TABELA OU PAPEL.
MELHOR AINDA.








O pai  + a mãe  .    O pai do pai  + o  pai da mãe .   A mãe do pai + a mãe da mãe.
isso é o mínimo do mínimo que um comprador espera que você tenha conhecimento
de uma raça que você esteja criando... quem são os pais e os avós de sua raça .
As vezes basta que o animal seja bom por si mesmo mas é uma rara exceção
quando isso acontece. Quando o galo for de origem desconhecida totalmente
 e que seja assim tão bom.









































































Nunca vender um galo com defeito ou sabendo que seja ruim.
Essa é a receita do sucesso...
Tem gente que se faz de esperta mentindo ou vendendo algo ruim pras outras.
Uma galinha doente ou defeituosa pode queimar gravemente a sua criação no mercado.
O que vale mais ? O bom nome do criador ou uma vantagem em cima de uma fraude ?
se o galo é filho de fulano vale mais, então o certo é nunca vender nada por aí
 mentindo a raça do animal.
Querendo se beneficiar de alguma linhagem famosa pra se valorizar.













Quando vender ir anotando pra quem vendeu pois tem metidos a esperto que
falam que a sua raça foi ele que criou para se promover e revender caro.
Também palavra de criador tem que ter um valor só.
Se um bicho é bom fale que é bom, se ruim falar que é ruim.
Muitos só te vendem os que sabe que num tem a menor qualidade.
Outra coisa, quem põe o valor é o dono do animal.
Num tem nada pior do que um cara que vem na tua casa e seu galo vale 100
mas o espertinho vem te dizer que só vale 20. Só pra pechinchar.
Um exemplar puro, sadio como esse que podem  ver aqui tem muito valor .
Em qualquer lugar do MATO GROSSO DO SUL .



Magnifico exemplar de combatente preto, jovem e muito sadio.





















Eu sempre comprava franguinho e franguinha bem novo e terminava de criar em casa.
Porque era mais barato e não tinha como o criador já ter testado e estar vendendo por ser ruim.
Não adianta falar em valores porque cada um tem um preço na cabeça.
150 até 500 reais está valendo por aqui.
Mas é preço meio caro um galo, muito caro pra uma galinha.
 E é um absurdo falar em franguinhos nem testados com um preço desses.
















Cada galo que eu vendi o comprador tinha certeza que valia cada centavo.
Era comum vender mais de um bicho da família pra uma mesma pessoa.
Se você conhece ao certo uma raça, não tem receio de pegar outros
que seja da mesma genética. Alguns irmãos são fenômenos de qualidade.














Uma coisa que todo mundo sabe que seja errado é apostar em jogo.
 rinha de galo também se inclui na categoria.
Mas se apostar nunca seja mau perdedor e nem mau pagador...
Muita gente acaba tendo um mau nome na praça...
Por ninharias e merrecas perdidas e não pagas...
Se não sabe perder se controle e nunca jogue.











terça-feira, 27 de maio de 2014

COPA DO MUNDO DAS COR DO GALO DE RAÇA




Se a gente for imaginar que a raça e a cor do galo
 são igual ao lugar que cada um ocupa numa área de um campo de futebol.
temos que colocar o galo vermelho como o atacante e estrela do time !
Seria o mais famoso e que as pessoas gostam mais. Identificando com a raça.
O galo índio é o vermelho, pra quase todo mundo










Em segundo lugar aparece o preto que a asa é preta no ombro.
Pescoço as vezes é preto. O rabo é sempre preto.
Penas do peito tudu é preto. A filharada quase sempre é preta também.O galo integralmente preto é uma verdadeira raridade.  com todas as penas no corpo preta e até com a espora preta. uma vez vi um assim. só um.
Mas que exemplar magnífico que ele era.


















Em terceiro lugar vem o galo caboclo. Preto avermelhado. meio que uma mistura dos dois.
è um dos mais comuns dos galos de briga.Porque é fácil de nascer. não precisa de nenhuma mistura especial para isso.







O quarto lugar é o do cinzento. O famoso GALO PUVA.  Cada puva tem uma cor própria. puva claro. puva escuro. puva amarelo. Puva vermelho
puva prata.  puva caboclo. puva branco.
A categoria dos puva é uma das classes mais bonitas de galo índio.













































































































sexta-feira, 23 de maio de 2014

ESPORA NÃO VALE OURO... CORTA FORA.

MUTILAÇÃO !  CORTAR OU NÃO CORTAR AS ESPORAS DO GALO ?                                                                                


Todo galo de briga tem a partir de certa idade, umas pontas nas pernas.
 Essa espora cresce durante toda a vida do animal. Nunca param...
É normal para qualquer ser humano cortar as unhas.
 E tem muita gente que acha é uma mutilação contra o galo, cortar e
retirar as suas esporas.
  Mas acontece que quem pensa assim, padece de uma falta de visão !
  Imagine você que um galo na flor da juventude, só possui dois botãozinho
 de esporas, rombuda e sem pontas.  Que chamamos aqui de BATOQUE.



Ele pode cruzar à vontade sem correr o risco de machucar a galinha.
Mas pode ser que ele deteste franguinhos ou pintinhos e queira espantar dando
 uma pernada.  Não é incomum num terreiro uma galinha se embolar numa briga 
com uma colega e vir o galo separar essas duas carniça uma da outra.Com patadas.
 Este galo pode ir para o quintal de alguém. Ou mesmo brigar com algum que escape
 ou caia da gaiola. Já vi acontecer muito caso assim, até na minha criação. E outras.
Agora eu pergunto, vale a pena correr o risco de manter a espora do galo
intacta e grande. Para depois perder pintinhos, frangos e matrizes por causa desse luxo ? 
 Acontece muito de o galo com a espora comprida errar a pernada e furar a própria 
canela com as pontas. Pode ficar até manco por si mesmo, sozinho.
 Prefiro fazer a higiene e cortar geral as esporas da galaiada na mesma hora !
Dia de corte vem a tóra geral de todas as esporas...

















Essas esporas assim cumpridas servem só como um exemplo pra rasgar as galinhas.
Quanto maior e mais pesado for o galo, maior é o estrago que acontece na criação.
Tive que costurar as laterais de uma galinha chamada ENEIDA perto da cocha
com furos enormes na pele por causa de um galo muito grande e pesado
 que a espora estava crescendo ainda sem ponta aquele osso. Não afiada.









Como que seria pra gente cortar a espora de um galo, qual o jeito mais fácil ?
 Bem simples, pega o combatente no colo, segure na mão esquerda nas pernas dele
 e depois usando uma serrinha velha de cortar metal, você ai esfregando sem muita força.
é só medir pelo tamanho de uma unha humana a distância o tamanho para cortar.
 Nunca corte rente a perna pode ser fácil sangrar e demora a cicatrizar. Atrapalha.
Uma serra nova corta bem mas corre o risco de sangrar. E tem que usar sem o arco.
Passe o álcool pra desinfetar a serra bem usada e sem ferrugem.
Cuidado pra não forçar o último pedacinho lá em baixo pois desbeiça e pode até
 sair uma gotinha de sangue.
Se sair, você molha um algodão no álcool-barbatimão e segura sobre o corte até secar.
  Não deixe o galo fazer artes nem brigar no dia do corte.
Se puder passar 4 dias preso em passeador é melhor. Por segurança.






Se as unhas do galo crescem demais corte também, já vi galinha rasgada pela unha
do galo devido ao peso do galo ser quase 5 quilos ou mais.
Em caso de rasgar você pega a agulha e costura na mesma hora. 
Nunca deixe para depois que a pele pode morrer e romper os pontos.
Ou nem adianta tentar costurar ferida velha de dois dias.








O bico também pode crescer demais e ficar com defeito, mas curar é muito simples.
Certa vez um patinho que estava até sem comer, eu fui chamado lá e queimei
 o sabugo do bico dele com o cabo de uma colher aquecida em brasa no fogão.
A ponta debaixo era muito maior e o bicho nem comia mais, tava magrinho.
 Eu fui queimando aos poucos até igualar as duas partes.
Ele era até menor do que os outros irmãos já.
O galo quando quebra o bico eu lixava para igualar, com uma lixinha de unha.
Essa técnica também funciona um pouco pra quando a galinha come penas.
 Mas isso sim eu acho que é uma mutilação contra o animal. Tirar a ponta do
bico só pra evitar que a ave fique bicando os penugens nascendo no pescoço do galo.
Mas o pior é que os galos gostam e deixam elas puxar...



























O importante no bico não é se ele está bunito ou feio. Apenas é preciso se certificar de que ele está cumprindo a sua função.  Tem que possibilitar ao galo comer sem dificuldades.
 E segurar bem a galinha na hora de uma cruza.
 Tem que estar em condições de morder com firmeza o que ele tentar bicar...



















OPERAÇÃO .    Tem que ter muito sangue frio  e ser meio indiferente pra dor de bicho.
Mas em tese qualquer pessoa pode ser meio veterinário para a sua criação.
Qualquer galo de qualquer raça nasce a crista e o couro do ouvido e barbela.
A gente chama de "brinco". E barbela. Tem gente que fala orelha ou ouvido.
 É com uma tesoura de aço bem afiada que se costuma cortar e moldar a pele.
Eu uso uma de aço maciço e muito firme. Que não masca e não erra o corte.
Eu cortava crista em galos meus, dos amigos e dos vizinhos desde criança.
Quando o frango está com perto de um ano já pode remover os excessos de pele
do queixo e do brinco. E caso não gostar da crista basta aparar um pouco.
Um galo lavava a barbela na água ao beber de tão grande que era.
Raça de nanico com mais de um palmo de crista reta.
Deixei a crista com a ponta reta que eu achava bonita.
Mas aquela barbela eu tinha que tirar. Cortei rente na cara e o ouvido também.
Em duas semanas estava novinho em folha.
Sem aqueles monte de carne sobrando.
A superstição dizia que era para o galo comer de volta as carnes cortadas.
E eles comem mesmo, coitados são inocentes. Nem sabem .
Mas o certo é jogar no lixo.  Nem adianta inventar que operar é mutilação!
Cortam chifres e mócham vaca desde bebê.  Castram boi e porco novinhos.
Botam brinco furando as orelhas de vários animais.
Cortam as orelha e cotócam os rabos de várias raças de cães por aí.
Tanta coisa brutal que se faz aos bichos.
Não creio que uma operação uma vez na vida.
Arrancando uma coisa que as vezes até o atrapalha todo seja mutilar nem mudar
um galo de raça. Tem gente que até exagera em operar.
Mas no fundo é preciso operar sim.
 É muito certo e todo mundo devia ver isso e entender melhor quem conhece e cria.
Não adianta dar palpites quem nem entende de nada.















Também aparece uma doença estranha que faz uma ferida funda,
bem na junta da perna do galo na parte interna.
Ela cria uma casca dura e preta bem ali. Num ponto nevrálgico
onde ficam os tendões e os ligamentos mais importantes.
Às vezes a pereba cresce de machucar em brigas e às vezes é sozinho.
Vem do nada!
 Não adianta tentar querer arrancar na marra a casca.
Sai sangue e dói muito a ponto de um galo nem querer andar mais.
Ficar até meio manco.  Eu curei dois galos com esse problema usando
 apenas uma pomada de penicilina G a GANADOL. até que se curasse a ferida... 







É nessa parte realçada que aparece aqui, que surgem as cascas e feridas.
Uma casca preta e dura nas escamas da canela junto da pele...
O problema aumenta até se agravar de verdade.

















Existe a pena encravada que vai inchando e crescendo dentro da pele do animal.
Pra essa pena vale furar com uma agulha e retirar o inchaço até arrancando a pena.
Eu tinha uma galinha com uma pena teimosa dessas no pescoço que toda muda
que a galinha fazia ela encravava.
 Daí eu tinha que pegar e furar pra sair pra fora totalmente.
 As vezes era uma pena mal formada que eu até tinha que arrancar.




















                                    

Um corpo forte e bem formado, na galinha índia sadia o corpo parece um tanque blindado.
Boa altura e muito peso só se consegue em um animal que seja bem cuidado...
Eu vivia tendo que separar brigas e resolver conflitos.
Hoje em dia não vejo mais aquele tipo de feridas que havia nas brigas das galinhas.
Essa aqui era criada solta, andando o dia todo, faz exercícios.
Vivem mais sadias que qualquer animal ficando apenas apenas preso.
Vivem bem durante anos, e raramente ficaria doente.






O OSSO APARECE UM " RUBI " DAS ASAS DO GALO




Toda galinha tem nas costas das suas asas os mesmos ossos.
E o galo de briga também costuma ter.
 Só que pelo fato de as penas serem um pouco mais estreitas e
mais ralas do que são em outras raças.
 Essa pontinha que é uma bolinha do osso da asa, é a junta.
Ela aparece pelada e de tanto tomar o sol ela fica avermelhada.
Todo galo saudável tem que ter essas marcas vermelhas no local.
Já vi por aqui na imprensa falarem absurdos que aquilo é uma ferida !
Pura besteira !  Apenas uma pele que ficou vermelha de sol além
de ser bunito na ave, devia ser evidente que não é ferimento algum nem cicatriz.
Galo que jamais brigou na vida desde que nasceu também tem aquele " rubi" ,
 um de cada lado das costas. E as galinhas puras também tem...
Desde pintinhos essas marcas aparecem os ossinhos ainda brancos.
Uma das coisas mais curiosas da galinha ídia é ela ter penas finas
 que mostram as partes mais interessantes do corpo e das carnes.
As marcas avermelhadas da pele quando bate o sol inclemente do MS.
Galinha num pega bronze. A pele fica vermelho sangue.
Uma vez vi falarem, o peito daquele galo está em carne viva.

                                   







Também existe a cicatriz na asa, que já é uma marca de uma área sem pena.
Fica muito vermelha essa área e a pele costuma ser mais fina e lisa.
Mas acontece que esta cicatriz é rara, Eu tive um galo Tuso que era aleijado.
De tanto brigar com um franguinho da mesma idade o filhote de uns três meses fere a sua
asa até ao ponto de descarnar e ofender o nervo e os ossos, disso resulta que uma asa fica dura.
É uma marca que só os mais raçudos e que defendem bem a cabeça numa briga vão ter...
Eu tive uma galinha que era feríssima em arrebentar as outras, que tinha uma marcona dessas.
Em final da década de 80 era muito comum o galo ter a marca, mas em galinha era muito raro.
Hoje em dia é mais raro ainda porque as raças de hoje são menos teimosas, filhotes brigam pouco.
Logo algum dos irmãos desistem de se enfrentar. Não chegam a machucar a serio.
E basta cuidar que não acontecem as brigas e ferimentos. Separamos e prendemos os filhotes.
E eu dizia que pela briga da galinha aquela era a melhor galinha do mundo.
 Pois nenhuma galinha que a gente punha na frente da minha amarelona aguentava brigar com ela muito tempo. Logo já saía corrida e quem ficava era arrebentada de um jeito...
  Não é uma pena dizer isso?  Mas é fato que o padrão de qualidade das raças combatentes aqui do estado decaiu muito com o correr do tempo, não se fazem mais galinhas como as que eu tive antigamente. 
Existem as raras e nobres excessões...





         











Reparando bem um dos reais indícios de pureza da raça desse galo,
que nunca foi operado e vai ter esse pouquinho de pele em excesso sob o ouvido e
nem ter nada de pele sobrando por baixo do queixo.
Crista pequena e bico forte e curvado.  Exemplo magnífico de uma genética
superior .  Ainda franguinho novo e já é rei do terreiro, que já canta, cruza.
Uma das boas características da raça do galo índio é a sua precocidade...
Eu só comprava franguinho de três meses e depois de 4 meses já tinha um bom
espécime de reprodutor sadio e criolo do meu terreiro;.
Era conveniente pelo preço e também pelo fato de um animal de pouca idade
 vem pra sua casa sem vícios e nem tem como saber da alta qualidade de espora e fibra.
Em galos já testados o dono costuma tentar enganar ou trapacear o comprador.
 Quer escolher preço alto demais em galo bom.
 Escolhem pra você um galo de qualidade meio inferior ou duvidosa.
Sabe que um galo não tem fibra ou é pouca espora.
Acham algum vício na natureza de um galo e repassam.
Eu se fosse saber que um bicho meu era ruim eu preferia nem vender.
Eu nem testava nem nada, e ia da sorte do cara que interessava e comprava .
Se num prestasse bastava cozinhar e pronto...
Sempre dei sorte ao criar e nunca saiu nada inferior na minha criação.










Esse olhar hipnótico e ameaçador é uma das maiores amostras de sua
personalidade e raça...
 Já vi galo índio avançando em cachorro.  Galinha choca expulsando gato do quintal.
E dentro do ninho uma galinha Raça Cinturão-de-Ouro tava lutando com um gambá!
Uma vez meu galo deu uma esporada numa grande borboleta pensando que era gavião.
E pega numa galinha e faz ela gritar no quintal, pra tu ver o que acontece...
 Esses corajosos combatentes também não tem nenhum medo de gente.
 Pulam e mordem como feras, alguns deles.  Mas em geral são animais magníficos...
Alguém diz o contrário ?






DOENÇA : UM CALO NA PATA E OLHO DE PEIXE





Por aqui em toda parte a gente costuma chamar de puva
qualquer galo que tenha a cor cinzenta pelo corpo.
Então existe o puva vermelho, puva amarelo. Puva preto.
 E nasceu uma vez na minha criação um raríssimo puva prata.
 Acho que aquele meu franguinho inventou aquela cor...
Eu nunca tinha visto um cinza prateado tão bunito igual aquele...




















  Não tem um bicho mais bagunceiro que o tal que a gente chama de galo de briga.
 Ele voa, pula pra onde não deve.  Entra na onde não deve.
 Até vidro eu já achei dentro de moelas de alguns.
 Tem que trocar sempre a espuma porque a natureza dele é fazer bagunça.
 Destrói a  almofada e esfarela a espuma, faz sujeiras e tal.
Em matéria de galos, higiene é saúde...














E uma das grandes coisas que mais ofendem o galo em sua saúde
é quando tem alguma ferida ou um calo na almofadinha do pé.
 Acontece que ninguém funciona pra nada com dor em alguma parte.
Este galo tem que ser preso na gaiola e o assoalho tem que estar
estofado com espuma.
Daí passa o sebo de carneiro, que aqui a gente usa pra quase tudo.












O SEBO DE CARNEIRO é um remédio natural muito usado por aqui.
A gente esfrega o sebo na pata e na perna para ferimentos como batidas, pancadas.
 Ou na cara e nos olhos do galo como se fosse uma espécie de pomada.
É um bom cicatrizante e lubrificante, pra uma pele ferida não se ressecar,
 ou para os olhos não ficarem colados após machucarem demais numa briga.
Não pode ter sal nem outras impurezas que podem estragar o remédio.
Em caso de se estragar e cheirar mal ou ficar mofo, o melhor é jogar fora...













Uma das boas histórias que conto em meu livro é da vez que eu salvei a vida de um frango
usando o sebo de vaca.
 Nunca eu tentei empregar  para substituir o uso do sebo de carneiro com o sebo da vaca.
Mas esse franguinho de quase 4 meses teve uma infecção intestinal.
Não comia nada e só digeria os líquidos em épocas de muito frio por aqui.
Eu fiz ele comer junto com as comidas, meia colher de sebo de vaca em cada alimentação.
Passou pelos portais da sombra da morte esse meu frango. Já tava só os ossinhos.
Mas por fim se salvou após duas semanas de sofrimentos com frio e sem comer...
Era só larva de tenébrio molitor que ele bicava, e só o sebo era que ele digeria do papo.
E na hora de sair saía gordura liquida de dentro dele.
Filho do meu galo de estimação, criado na mão. Pura raça até duas geração.
Só eu sei o que eu penei pra poder salvar o meu frango preto.
Uma coisa dessa deixa um animal sem ter verba que paga nem uma unha.
Fora que toda a família dele era de estirpe especial.














Notem a poderosa coxa tosada desse galo puva.
Mas pra cuidar da saúde da sola de seus pés foi preciso estofar o piso.
E assim prender na gaiola. Ele solto dorme empoleirado e pra descer
machuca a pata. Daí fica mancando e o dono não sabe porque.
 Esteja certificado de que o seu chão é macio e que não tem um obstáculo
 ou objeto que as galinhas do poleiro podem cair em cima quando
descem de suas camas onde ficaram toda a noite.
Nada de deixar galinha dormir em árvores  a 3 metros do chão...
Já acorda machucada e passa o dia todo mancando.
Se um galo está sem asas prenda pra não se machucar caindo mal.
E nunca se corta a asa de uma galinha sem uma boa razão...
O ideal é que o terreno seja comporto de areia macia
 ao menos perto ao redor de um poleiro.







Próximo desta bagunça aqui, ficava um puleiro.
Lugar cheio de quinas e cantos vivos onde um galo pode quebrar a pata e se cortar.
Correndo o risco de ficar até manco.
 Não parece uma boa área para pousar de madrugada
e menos ainda meio no escuro quando as aves acordam.
Fique observando como é que descem do puleiro as suas galinhas um dia, só pra ver.












Em caso de cair de uma altura muito grande, essas pedras britadas vistas aqui
poderão se tornar em um verdadeiro veneno.
 Existe um tipo de inchaço que aqui a gente chama de cajá, bem na sola do pé.
Aquilo dói bastante e incha.  E depois jamais sara até aleijar o bicho duma vez.
Já vi muito galo bom que ficou inútil por ter ferida incurável nos pés.
























É importante se certificar de que a área de descida das aves de seus poleiros no chão
esteja forrada por uma capa como essa de areia grossa.
 Pra poder evitar os machucados nas patas desnecessários
 causados pela dureza do chão e os obstáculos em lugar errado..